Crónicas

A força da marca FC Porto e o patrocínio


A BeIN Sports, uma das mais poderosas estações de transmissão de eventos desportivos, vai passar a transmitir os jogos da liga portuguesa em Espanha. Isso não significa, diretamente, que o FC Porto vá ganhar mais com receitas televisivas, mas sim que o futebol português bem pode agradecer ao FC Porto por continuar a expandir a sua imagem.

A BeIN Sports não estava interessada na liga portuguesa. Estava interessada no FC Porto, e logicamente nos seus jogadores espanhóis. Basta ler o comunicado oficial para perceber isso.

Para não resumir isto tudo ao FC Porto, a BeIN Sports lá meteu Capel ali pelo meio. Mesmo sabendo-se já que foi dispensado pelo Sporting. Logo, todo o interesse aqui resume-se ao FC Porto. E prosseguindo com o comunicado da BeIN Sports.
«De la Liga Portuguesa también surgieron jugadores de la talla internacional de Deco, Cristiano Ronaldo, Radamel Falcao, Pepe, Hulk o el nuevo delantero del Atlético de Madrid, Jackson Martínez.»
Ora então, tirando o jogador português mais mediático em todo o mundo (Cristiano Ronaldo), tudo o que é destacado são ex-jogadores do FC Porto. Não é a liga portuguesa que gera interesse. É o FC Porto.

Em Espanha, o mercado televisivo é de 1000 milhões de euros, após a centralização dos direitos televisivos (que vai acabar por ser uma realidade para o futebol português, leve o tempo que levar, e será uma salvação para muitos clubes, Benfica inclusive, que suspira pela centralização – Luís Filipe Vieira até assistiu à Supertaça na companhia de Joaquim Oliveira e sabe perfeitamente que a BTV não resistirá nestes moldes, pois enaltecer as receitas é muito bonito, mas quando metem os custos na balança… Fica o apontamento, que futuramente será recuperado).

Como o FC Porto tem contrato com a Olivedesportos até 2017-18, não encaixa diretamente dinheiro pelas transmissões internacionais, mas torna o futebol português mais apelativo e mais procurado. E isto pode perfeitamente reforçar o estatuto do FC Porto para aumentar a sua quota de receitas pelo mercado televisivo nacional em breve, assim que surgirem novas negociações (possivelmente, a centralização chegará primeiro que uma eventual renegociação com a Olivedesportos).

Com isto chegamos também à questão dos patrocínios. Ter Iker Casillas no plantel deu ao FC Porto uma visibilidade em termos de mercado que já se reflete, não só na compra da TVE de jogos de pré-época como agora pela BeIN Sports.

Por isso, agora podemos questionar: e se o FC Porto tivesse fechado logo o contrato com o patrocinador em maio? Pois é. Não poderia aproveitar os efeitos da contratação de Casillas, nem este impacto no mercado televisivo espanhol. Daí que nunca tenha mostrado grande preocupação com o facto da SAD não anunciar novidades face ao patrocinador. O tempo corre a favor do FC Porto, não o contrário.

LER O RESTANTE POST EM: http://otribunaldodragao.blogspot.pt/2015/08/a-forca-da-marca-fc-porto-e-o-patrocinio.html

Adiciona um comentário

Segue-nos no Facebook

Mais vistos