Noticias

Benfica acedeu a processos dos rivais e ofereceu cargo no Museu Cosme Damião

De acordo com a revista, Paulo Gonçalves e o técnico de informática do IGFEJ vão passar a noite na cadeia.

Paulo Gonçalves, assessor jurídico do Benfica, e um técnico de informática do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ) foram detidos na manhã desta terça-feira por suspeitas de corrupção ativa e passiva na Justiça, no âmbito da operação “e-toupeira”, levada a cabo pela Polícia Judiciária (PJ).

De acordo com a revista Sábado, os contactos de Paulo Gonçalves são suspeitos de lhe fazer chegar informação sobre casos que envolvem FC Porto e Sporting, além dos casos que envolvem o Benfica, retirada do sistema informático dos tribunais, o Citius.

Ainda segundo a publicação, o técnico de informática detido, José Silva, terá tido como contrapartida a contratação do sobrinho, Fernando Rocha, para a recolha de informações dos processos a que tinha acesso como funcionário judicial.

Na mesma operação, o funcionário judicial Júlio Loureiro e o empresário de futebol Óscar Cruz também terão sido constituídos arguidos.

Fonte: O Jogo


Adiciona um comentário