Crónicas

Carta Aberta a André Villas Boas

CARTA ABERTA AO ANDRÉ VILLAS BOAS

Caro André Villas Boas,

Escrevo-te hoje não com o melhor estado de espírito possível neste momento, porque sou PORTISTA e como tal não posso estar satisfeito neste momento.

Sou aquele adepto que conta os dias, horas, minutos e até segundos que faltam para que o Porto jogue e que a camisola azul e branca, a mais bela de todas, fique suja e suada.
Não vivo do Porto, isso é verdade… mas vivo para o Porto, podes me chamar de louco, fanático ou até doente… mas este clube é o que melhor me aconteceu na minha vida. FC Porto não é só um clube, é uma família, é uma paixão, é um estado de espírito que nos faz ultrapassar medos, dificuldades e até impossíveis. É um estilo de vida, é um ORGULHO e é uma honra ser do FUTEBOL CLUBE DO PORTO !

Podem me chamar de louco, mas eu não me importo… loucos são aqueles que não são deste clube !
Ser Portista é agir com o coração, é ver por entre as mágoas de terceiros, a verdade que cala os arruaceiros, ser Portista é ser livre, é ser dragão! Ser Portista é ser exigente, é ser ambicioso, é querer sempre mais. É ser corajoso, é ser persistente e não um desistente !

Como já deves saber nem tudo está bem por aqui, o Porto não é o mesmo que nos tem habituado… e não estou a falar só na falta de títulos, falo principalmente do desaparecimento da Mística, da Garra, da coragem que outrora nos caraterizava.
Falo naquela vontade, força e orgulho que os jogadores sentiam ao representar o FC Porto, ao usarem aquela camisola, ao suarem-na como nunca. Aquele respeito que nos tinham que os fazia tremer sempre que jogavam contra nós… Jogar no Porto não é para qualquer um, é para que merece. Jogar no Porto não é uma oportunidade para se projetar, é um privilégio, é uma honra, é um grande orgulho que nem todos têm !

Já se viveu melhores dias por aqui, aquele entusiasmo de chegar o dia para ver os jogos do meu clube começa a desvanecer. Agora anseio que os jogos acabem para que o Porto segure a vantagem mínima. Agora o Dragão deixou de ser a nossa fortaleza e passou a ser o ganha-pão de qualquer clube.

Agora ninguém nos respeita, passámos a ser um clube vulgar onde qualquer clube nos dá luta para vencer.

Por outras palavras: batemos no fundo, e este fundo dói muito para adeptos como eu… Tenho passado os dias tristes, por ver como este clube anda e para onde se dirige. Acordo e adormeço a pensar no mesmo: para onde caminhas Porto ? Quando te vais reerguer ? O que te aconteceu ? O que te fizeram ? A minha vida não tem sido a mesma…

Estamos doentes.
Perdemos, literalmente, o norte.
Onde está o brio? A raça? A dignidade e o amor à camisola que tanto nos distinguia? Onde está a vontade? Onde está o Porto? O mágico Porto que arrecadava pontos e conquistas pelo seu crer, que fazia das tripas coração e encantava o mundo por comer a relva como ninguém?
Podemos perder, todas as equipas perdem, mas jamais poderemos ser derrotados porque não damos tudo, porque não somos Porto.

Como desconhecido que sou, venho por este meio apelar ao teu Portismo! Nos momentos difíceis vemos os verdadeiros portistas e, acredito piamente que tu és um deles.
Acho que te posso tratar por tu, porque os portistas são assim… Unidos para vencer!

André Villas-Boas…
Espero que a tua saúde esteja bem!
Escrevo-te estas pequenas palavras, porquê?

Porque precisamos de ti ! Precisamos da tua raça, da tua mística, do teu Portismo !
A tua cadeira de sonho está à tua espera e tu bem sabes o quanto nós te adoramos e o quanto nós temos saudades tuas.
Não te estou aqui a pedir nos repitas o que fizeste em 2011, apenas estou a pedir que nos ajudes, que nos faças voltar a acreditar no Porto. Que nos faças anseiar por cada jogo do PORTO, que nos faças ter Orgulho em ser deste clube, que nos faças recuperar a mística e a garra que nos sempre caraterizou!

No dia 25 de outubro de 2011 apelaste à união de todos os portistas, aquando da cerimónia de entrega para melhor treinador do ano.
Retiro algumas palavras que ilustram a necessidade de contarmos contigo no comando: “Porto, palavra exata, nunca ilude”; o portista vive, subsiste, é eterno; o portista sente, sofre, luta; o portista quer, pede e exige; o portista junta, acumula e ganha; numa simbiose perfeita com a personalidade de cada um o portista é educado, aprende, é formado e torna-se melhor. Como pessoa, como homem e como mulher.” (…) azul e branca essa bandeira avança, azul, branca indomável, imortal, como não por no Porto uma esperança se daqui houve nome Portugal?”.

Como adepto, conto contigo, para voltarmos a ser GRANDES, voltarmos a ser ÚNICOS, voltarmos a ser PORTO, FUTEBOL CLUBE DO PORTO!

E como ser Portista, é nunca desistir e enfrentar de peito cheio e de cabeça erguida os maus momento, confio em ti ! Sei que não me vais desiludir e que não me vais deixar ficar mal, porque sei como verdadeiro Portista que és, vais nos ajudar quando nós precisamos de ti, tal como tu precisaste de nós nos maus momentos.

Neste momento, acredito que tu, André, és o homem certo para voltar a erguer o nosso clube. Precisamos de ti, por isso volta para onde foste feliz e certamente serás ainda mais !

Após estas palavras vindas do fundo do meu coração, despeço-me com a esperança de te ver no meu clube, no nosso clube.

Sem mais nada acrescentar,
ATÉ JÁ,

Adepto Portista.

Fonte: https://www.facebook.com/villasboasdevoltafcp

Adiciona um comentário

Segue-nos no Facebook

Mais vistos