Crónicas Futebol

Cronica: Porto sem alma


É com tristeza que estou a escrever este texto. O nosso FC Porto fez um jogo fraco em Londres, (muito por culpa do senhor que se senta no banco, a que chamam de “treinador”). A equipa estava obrigada a ganhar e o iluminado do Lopetegui decidiu jogar sem ponta de lança, pôr o Layún a extremo e deixar nomes como Aboubakar, Rúben Neves e Tello de fora do onze. O resultado foi o que se viu… 

Mas o que mais me espanta é a inércia da estrutura do FC Porto, aquela estrutura vencedora que foi uma autêntica lenda do Futebol português durante os finais do século XX e o início do novo século. Bem, parece que essa estrutura está a fraquejar. A verdade é que o nosso Porto já não é um Porto com consistência suficiente para ganhar três ou quatro campeonatos seguidos, como fazia frequentemente durante os primeiros trinta anos de presidência do Pinto da Costa. Infelizmente, penso cada vez mais que está na altura do nosso Presidente dar lugar a outro. Ele fez muito pelo nosso clube, mas na vida é preciso saber a altura para fechar um ciclo e começar outro.

Posto isto, confesso aqui que este ano desejo ganhar o campeonato mais do que nunca, para que o nosso Presidente tenha oportunidade de saír em glória no final da época, como tanto merece! Afinal, “falar de Pinto da Costa é falar do FC Porto e falar do FC Porto será sempre falar de Pinto da Costa”. 

Saudações de um Portista triste, mas incondicionalmente Portista, na vitória e na derrota. 

Adiciona um comentário