Crónicas

Décadas após Calabote, a solução é o boicote – Parte 1

Ontem, para muitos, assistimos a mais um capítulo negro da história do futebol português. Mas, essa história só se tornou negra recentemente, pois andam distraídos e não são capazes de enxergar aquilo que tem sempre estado perante os olhos de todos, mas teima em ser abafado ou destruído.

Neste País de Terceiro Mundo em termos judiciais, as coisas acontecem e são rapidamente esquecidas, sendo a palavra-chave “arquivado”. E enquanto o FC Porto é constantemente prejudicado, tendo inclusive nos últimos 3 anos perdido o campeonato mais escândaloso em termos de arbitragem do século XXI, o denominado “Campeonato do Colinho” os parolos da capital insistem na sua metamorfose de falsos moralistas e pregadores de bons costumes.

Esta temporada, é infindável o número de grandes penalidades por assinalar a favor do FC Porto, as arbitragens desastrosas e claramente encomendadas para afastar o FC Porto dos seus objetivos. Em Chaves, fomos eliminados da Taça de Portugal num autêntico show do senhor Capela que conseguiu fazer vista grossa não a uma, não a duas, mas a 3 grandes penalidades na grande área dos flavienses. Já nesta edição da Taça Voucher (desculpem, CTT) as arbitragens nos jogos dos azuis e brancos contra o Feirense e ontem, contra o Moreirense, revelaram até que ponto chegou o ódio instigado contra o FC Porto. No Campeonato, recordar apenas 3 jogos, Alvalade, Setúbal e o jogo no Dragão contra o Benfica.

Resumindo, em Janeiro, o FC Porto apenas compete no Campeonato Nacional onde está em segundo a 4 pontos do líder, mas a verdade dos factos, é que, caso esta orquestrada campanha que passa incólume aos olhos de quem deve investigar não estivesse tão bem montada e afinada , o FC Porto estaria ainda em todas as competicões do calendário desportivo nacional sendo ainda líder isolado do campeonato. Surpreendido?

Para os infames que representam o proclamado Estado Lampiânico, tudo está bem e recomenda-se. Dezenas de páginas no Facebook supostamente criadas para fazer humor gratuito, tornaram-se verdadeiras máquinas de manipulação da opinião pública onde o gratuito é uma ladainha que cabe apenas no intelecto dos mentalmente atrasados. Depois, entram em campo os verdadeiros reforços dessa máquina tão bem oleada e quase invisível aos olhos de todos, reforços esses que não se destacam pelos golos que marcam, pelas fintas ou pelos cortes, mas sim pelo barulho que fazem. Obviamente que me refiro aos estúpidos e desalmados seres contratados para fazer apenas barulho e ruído todas as semanas em programas “desportivos” dignos de sarjeta. E eles lá levam a água ao seu moinho, não interessa falar a verdade, ser correto ou digno, o que interessa é fazer barulho, um barulho tão intenso que se torna insuportável e incapacitante ao ponto do raciocínio deixar de ser claro e direcionado para a realidade. Com barulho, apenas barulho, por exemplo, Trump tornou-se presidente dos Estados Unidos. Fica aqui apenas um pequeno exemplo desta tática que parece absurda mas cujos resultados aparecem de uma forma natural e vencedora.

Depois, ainda temos de nos defrontar com os argumentos podres e vazios de conteúdo desses hipócritas araútos da verdade desportiva “A fruta já lá vai” dizem uns “Ganharam 30 anos assim” atiram outros.
Na verdade, os crentes dessa história da carochinha são os verdadeiros bobos da corte da história de um País que nunca saiu do sec. XIX. O Apito Dourado foi um instrumento criado na Capital para derrubar o FC Porto e o seu Presidente. Querem provas?

As escutas do Apito Dourado supostamente em segredo de justiça, foram colocadas no Youtube, foram “roubadas” do Ministério Público e colocadas online. Quem conseguiria uma proeza dessas e passar incólume 12 anos depois? Se os golos do FC Porto forem publicados nesta página, numa questão de horas, os Super Portistas são uma pagina encerrada e enterrada então, porque perante uma violação clara da lei, as escutas nunca foram retiradas do Youtube?! Mais…

Em 2007 foi aberta uma investigação a Maria José Morgado, ao seu marido, a Luís Filipe Vieira, a Carolina Salgado e à jornalista Leonor Pinhão ( código deontológico? O que é isso?) a partir de um dossiê entregue por agentes da Polícia Judiciária onde supostamente existiriam provas de que a magistrada poupara Vieira e o Benfica no Apito Dourado, onde o Presidente do Benfica teria pago elevadas quantias de dinheiro ao marido da senhora em questão, mas também a Carolina Salgado e ao pai da mesma com o intuito de os fazer mentir em tribunal. Passaram 10 anos, onde estão os resultados dessa investigação?! Foi arquivada? Não sabemos. Em aberto? Desconhecemos.

Pois, isto é o Benfica, uma organização criminosa onde tudo desaparece magicamente, seja da Liga de Clubes, seja da UEFA, seja dos próprios tribunais … Sempre foi assim, nunca deixou de o ser e assim o será. Todos os títulos, todas as humilhações que o FC Porto lhes tem causado ao longo dos anos são apenas o resultado do suor, do trabalho, da garra e do bairrismo que sempre viveu dentro deste clube, desta chama imensa do Dragão e a inveja … essa acaba por saber tao bem!

Mas há mais a dizer, muito mais, por isso não percam o próximo episódio da saga …

Adiciona um comentário