Noticias

Ex-dirigente do Benfica acusado de burla confessa parte dos crimes em tribunal

Um ex-dirigente do Benfica acusado de se apropriar de 5,8 milhões de euros e que andou fugido à Justiça durante nove anos confessou parte dos crimes em tribunal, onde está a ser julgado por dez crimes de falsificação de documento e 11 de burla qualificada.

Luís Jorge Lopes Moreira, 57 anos, ex-responsável da equipa de futsal do Benfica — abandonou o clube em 2007 —, começou a ser julgado a 3 de Outubro e logo na primeira sessão do julgamento quis prestar declarações, sublinhado que tencionava assumir as suas responsabilidades pelos crimes e tentar ressarcir os lesados, uma vez que terá bens, nomeadamente um terreno, que valerá actualmente três milhões de euros.

Luís Moreira foi detido pela PSP a 27 de Junho deste ano em Marinhais, no concelho de Salvaterra de Magos (Santarém), depois de ter andado quase nove anos fugido à Justiça. Segundo a acusação, ter-se-á apropriado de mais de 5,8 milhões de euros ao ficar com o dinheiro de sinais de contratos de promessa de compra e venda de terrenos que não eram seus, mas para os quais apresentava procurações falsas dos verdadeiros donos. Ao todo são 13 os lesados neste processo, entre empresas e pessoas a título individual. São construtores civis que na altura perderam não só os terrenos, como o dinheiro que deram como sinal para a compra dos mesmos.

Ler artigo completo aqui


Adiciona um comentário