Crónicas

O treinador que mais teve ou o que mais perdeu?


Grande análise do “otribunaldodragao” Habituámo-nos a dizer que Julen Lopetegui teve/tem recursos que os treinadores do FC Porto nos últimos anos não tiveram. Dizer que teve o melhor plantel é sempre discutível (por exemplo, considero que o plantel de 2010-11 era superior ao da época passada), mas é um facto que teve o plantel mais caro de sempre e vai voltar a tê-lo em 2015-16.

Mas curiosamente, das 10 contratações mais caras da história do FC Porto, apenas duas foram efetuadas na era Lopetegui: Imbula, contratado agora e sob condições muito específicas (apenas a intervenção da Doyen Sports permitiu ter já o jogador), e Adrián López, outra contratação conseguida em moldes muito particulares e que, embora não tenha funcionado desportivamente, ainda pode ter salvação financeiramente.

No entanto é verdade que Lopetegui herdou excelentes ativos que já estavam no plantel. Entre eles, Danilo, Jackson Martínez e Alex Sandro. E também é verdade que numa época em que o FC Porto não ganhou nada desportivamente, estes três jogadores atingiram um patamar de valorização de mercado que era difícil imaginar.

– Jackson Martínez é o ponta-de-lança de 28 anos mais caro de sempre: 35 milhões de euros, e ainda havia quem se aproximasse dessa marca, no caso o AC Milan.

– Danilo é o lateral mais caro da história do futebol nacional, um dos três laterais-direitos mais caros de sempre e o FC Porto conseguiu um valor bruto de 31,5 milhões por ele a nove meses do final de contrato.

– E Alex Sandro, a menos de cinco meses de poder assinar por outro clube a custo zero, está de malas feitas para a Juventus, por um valor nunca inferior a 25 milhões de euros. Se tivermos em conta o preço pelo que o muito mais carismático, influente e melhor jogador Danilo saiu, então a venda de Alex Sandro, goste-se ou não neste momento (e desportivamente é difícil gostar), então é uma excelente venda. Restará a Pinto da Costa explicar – porque tem que explicar – os 30M€ que disse ter antes recusado, se bem que é possível alegar que o dinheiro que se poupa na renovação de Alex Sandro quase compensa o défice da proposta da Juventus. Mas a continuidade de Alex Sandro dispensava a contratação de mais um lateral-esquerdo, algo que passou a ser uma necessidade para quem não está satisfeito com José Ángel.

LER O RESTANTE TEXTOAQUI

Adiciona um comentário