Noticias

Treinador do F. C. Porto explica ausência de Paulinho nas escolhas da “Champions”

Depois de dois jogos consecutivos a zero, Sérgio Conceição espera que a inspiração atacante volte a tocar o plantel do F. C. Porto já este sábado, quando os dragões receberem o Braga, em jogo da 21.ª jornada da Liga.

“O Moreirense [0-0] é passado. Temos de corrigir coisas que não estiveram tão bem e, amanhã, vamos defrontar jogadores diferentes e uma equipa com ideias diferentes. Estamos preparados, com o foco na nossa equipa, mas também com atenção aos pontos fortes do adversário. Vai ser um bom jogo e estamos preparados para conseguir o mais importante, que são os três pontos”, anteviu o treinador do F. C. Porto, admitindo que, como quase todas as equipas, os arsenalistas estão mais fortes do que na primeira volta do campeonato.

“Sabemos o valor e os objetivos do Braga nos últimos anos, esperamos um jogo difícil, mas temos de olhar para nós e queremos ganhar”, garantiu Sérgio Conceição, convencido que depois dos nulos frente a Sporting e Moreirense, o Dragão vai voltar a sentir a festa do golo.

“Tentamos de trabalhar sobre esse momento. Metemos a cabeça onde os outros metem o pé, rematamos à baliza, mas, como tudo na vida, são fases. Às vezes com meia oportunidade marca-se, outras vezes é preciso quatro ou cinco. Acredito que essa fase vai passar e voltar a fazer muitos golos”, garantiu.

As escolhas para a Liga dos Campeões

Conceição explicou, ainda, o motivo de ter deixado Paulinho fora da lista enviada para a Liga dos Campeões: “As equipas só podem inscrever três jogadores e nós temos restrições da UEFA. O Gonçalo, formado no clube, não obrigava a nenhuma saída. O Osório entrou por causa do problema do central [Felipe está castigado e não pode defrontar o Liverpool]. Decidimos meter o Waris e tirar o Hernâni. No entanto, Paulinho e Hernâni vão ser importantes no campeonato, porque vamos ter uma carrada de jogos até ao fim da época. Acredito verdadeiramente nos jogadores”.

E, por falar em sequencia de jogos, depois do duelo com o Braga, o F. C. Porto mede forças com o Sporting para a primeira mão da meia-final da Taça de Portugal. O cansaço e a competição são bem-vindos. “Jogar de três em três dias é ótimo e é sinónimo que estávamos em todas as frentes. A Taça da Liga já está decidida, mas estamos na Taça de Portugal, Champions e a um ponto do primeiro lugar. Isso tem de servir de motivação e não o contrário. Um micro-ciclo de competição de sete em sete dias não nos deixaria satisfeitos nesta altura. É natural que um ou outro jogador mostre alguma fadiga, mas a equipa está bem fisicamente e isso deixa-me tranquilo”, comentou o técnico, satisfeito com os quatro reforços que recebeu no mercado de inverno.

“Dentro do que foi possível, estou satisfeito. Tinha mais três, quatro ou cinco jogadores que gostava de ir buscar se fosse possível gastar dinheiro como gastam o Liverpool ou o Bayern de Munique. Antes de janeiro, para fazer um dez contra dez no treino, tinha de recorrer à equipa B ou aos juniores. Agora, já temos mais soluções e isso é importante”, finalizou.

Fonte: JN.PT


Adiciona um comentário