Crónicas

Um texto para um dos piores momentos desportivos meu e do meu clube.


Um texto para um dos piores momentos desportivos meu e do meu clube.
Depois do jogo de ontem torna se difícil escrever algo. Levamos 6! 6 meus senhores! Fomos atropelados, abalroados, cilindrados, aquilo que lhe quiserem chamar!
Sinceramente nem entramos em campo, não jogamos!

Mas, e há sempre um mas, os jogadores chegaram ao aeroporto ás 3 da manhã e foram recebidos e confortados por centenas de pessoas. Porquê? Porque gostam de futebol? Não, porque são adeptos do Porto! E ser Portista é isto! É nunca cair, nunca se ajoelhar (esta é irónica), nunca desistir e manter sempre a cabeça erguida! É nunca se calar nem esconder! É pegar nos erros e fracassos e usá-los para se tornar melhor! Até porque domingo temos outra final para disputar. Mas aconteça o que acontecer segunda-feira cá estaremos, a festejar ou a dar o corpo ás balas. Estaremos no trabalho, na rua, no café ou em casa, de peito feito, a usar palavras menos educadas, a dizer “carago” e “bibó Porto”! Sem nunca nos rendermos! Porquê? Porque somos Portistas! Estamos num casamento sem traições, sem divórcios, com os seus altos e baixos mas cumprindo a promessa de que na alegria e na tristeza só a morte nos separará!

Azul e branca, essa bandeira avança,
azul branca indomável e imortal,
como não pôr no Porto uma esperança,
se daqui houve nome Portugal.

Pedro Silva

Adiciona um comentário